A cultura da mediocridade

Jovens acomodados conformam-se com referências baixas. Os baixos referenciais anulam a ousadia e promovem a mediocridade. A falta de ousadia desperdiça boa parte do talento e da iniciativa. Sem iniciativa e com talentos desperdiçados, a acomodação é cada vez mais disseminada. Numa roda de amigos, não é comum ouvir: “Hoje é segunda-feira e estou cheio de gás para arrebentar e produzir muito nesta semana!”. Muito menos: “Neste fim de semana vou trabalhar duro no meu projeto”. Se alguém se atrever a abrir a boca para dizer isso, certamente sofrerá bullying até mudar de ideia. Será chamado de nerd, bitolado, maluco, fanático e outros adjetivos do gênero.

Parece que quanto mais se reclama da vida e se diz com preguiça na segunda, mais se ganha popularidade. É a cultura da mediocridade adotada pelos “espertos” e “descolados” que está impregnada na mente da boiada. Aliás, a boiada está cheia de espertos.

Somente vencem os que saem deste ciclo nojento. Somente chegam ao topo os que descobrem que ser esperto é outra coisa completamente diferente disso. Somente têm sucesso os que têm prazer no que a maioria despreza e não vê valor no que a maioria cultua.

Apenas uma minoria pensa assim e por “coincidência’ (ironia) apenas uma minoria tem sucesso. Coincidência? Claro que não! Saia da boiada. Pense como a minoria.

Comentários

comentários