__computer

A internet traz benefícios e novos desafios

É fato que vivemos num momento de transição no mundo, onde muitas incertezas pairam na cabeça de uma juventude que sonha ser bem sucedida e que deseja realizar seus anseios e sonhos. Essa turma nunca esteve tão insegura e influenciada por tanta informação disponível internet afora.

Nesse contexto, surgem os gurus, coaches, mentores, master minders, consultores, escritores e palestrantes eloquentes com a promessa de resultados garantidos e rápidos. Ruim, isso? Não penso que seja. A internet deu a todos, sem exceção, com autoridade ou não, com resultados ou não, competentes ou incompetentes, o espaço para venderem seu peixe. Cabe a cada indivíduo/consumidor saber selecionar o que de fato tem valor ou o que não passa de espuma.

Será que esses jovens, no auge de suas inseguranças, estão preparados para separar o joio do trigo e identificar a diferença entre pérolas e bolotas de fezes defecadas pela boca de aproveitadores e vendedores de esperança?
Ainda vai levar tempo para esse mercado amadurecer a ponto de uma pessoa comum saber a diferença entre as duas coisas. Embora pareça óbvio para muitos, infelizmente, para quem está desesperado por uma direção não é tão óbvio assim. Até porque alguns buscam apenas ouvir aquilo que seja agradável a seus ouvidos, massagens para o ego e palavras não experimentadas por quem as profere. Nesse caso, tanto faz se o guru cibernético tem propriedade para falar o que diz ou não.

Recentemente recusei veementemente o título de “guru” que um repórter tentou me associar numa entrevista. Não tenho essa pretensão e tampouco penso ser produtivo cair nessa armadilha de passar a ser enxergado dessa forma, ou pior, de me sentir como tal. Sou o que sou. Um empresário que me realizo com a construção e sucesso dos projetos que me proponho a realizar. No meio de minha agenda bastante agitada, viajando entre a Europa, Brasil e EUA dezenas de vezes por ano, decidi dividir aqui no GV um pouco do que aprendi e do que me ajudou a me destacar nessa sociedade cheia de contradições.

Desde quando decidi colocar minha cara a tapa na internet em 2011, quando criei o Geração de Valor, muito antes dessa modinha de gurus pegar pela rede, sempre me preocupei em escrever e falar apenas o que vivo, de acordo com meus resultados empresariais. Confesso que o grande número de pessoas que dizem seguir meus conselhos passou a ser um estímulo a mais para eu manter em alta os meus resultados. Nesse particular, os últimos 4 anos foram para mim mais produtivos que os 20 anteriores, tanto em realizações como em construção de riquezas. Coincidência? Não sei responder, mas que, até hoje, manter-se digno da confiança que recebo diariamente por aqui é também um fator que me mantém firme em meu dia a dia, que representa um senso de responsabilidade produtivo que considero ter se tornado um grande aliado.

Por outro lado, se passo a fracassar em meus projetos, perderia a autoridade para falar sobre os temas que abordo aqui no GV e, por isso, não me sentiria mais digno de poder dizer alguma coisa a ser seguida por alguém. Ficaria calado até voltar a conquistar resultados positivos.

Qualquer pessoa pode falar o que bem entender, mas é importante compreender que, em negócios, direito de expressão não é suficiente pra liderar. Resultado é o único ingrediente que nos dá autoridade. O resto é balela, inclusive bons argumentos.

Mas vamos analisar um outro aspecto que é positivo no meio disso tudo. “Nunca na história deste país”, jovens estiveram tão interessados em empreendedorismo e em aprender como alcançar o sucesso. É como se tivessem despertado de um sono profundo e descoberto que isso não se aprende na escola, desencadeando uma busca desesperada por respostas. Aí chegou a internet… Eu penso que isso seja extremamente positivo.

O primeiro passo foi dado e o interesse pelo assunto está em alta. Agora, o próximo passo será o amadurecimento dos consumidores que permitirá a distinção entre pérolas e as bolotas que mencionei acima. Esse tempo vai chegar, porque o ser humano pode até demorar, mas aprende.

Enquanto isso, vamos chegando a 3 milhões de GVs aqui na página com um alcance de mais de 15 milhões de pessoas que nos leem todas as semanas, mais de 3 milhões de ouvintes por trimestre que seguem nosso podcast, o GVCast, além de termos os livros de negócios mais vendidos do Brasil, o Geração de Valor 1 e 2. Também é importante considerar as dezenas de convites para palestras em todo o Brasil que chegam todas as semanas, mas que infelizmente não posso atender, porque, como disse, sou empresário e tenho mais de 8.000 funcionários para cuidar. Além disso, com o dinheiro dos direitos autorais que foram 100% doados ao Instituto Geração de Valor, oriundos da venda de nossos livros, estamos reformando escolas públicas em regiões carentes do país.

Enquanto eu for capaz de fazer jus à confiança de vocês através dos resultados de meus negócios, estarei por aqui para dizer que você também pode, que você não precisa seguir a boiada e pensar dentro da caixa que lhe apresentaram nesta sociedade. Existe vida fora desta caixa e quem tem coragem de se libertar dela, além de assumir riscos que poucos se dispõem, pode desfrutar do que uma minoria tem acesso.
Estou aqui por sua causa.

Não preciso dessa exposição. Ao contrário, a maioria dos que chegaram pelo menos a 10% de onde cheguei querem distância dela.

Se for para você despertar e conquistar seus projetos, mesmo lidando com as críticas e os julgamentos alheios, para mim, tudo isso já valeu a pena.

Comentários

comentários