O que você faria de graça para o resto da vida?

O que você faria de graça para o resto da vida?

Uma repórter de uma revista de grande circulação acabou de me perguntar: “O que é mais importante, competências técnicas ou comportamentais?”

Respondi:

Há uma competência que antecede essas duas citadas em sua pergunta que, infelizmente, é deixada de lado. É a definição da missão de vida.

O que você seria capaz de fazer DE GRAÇA pelo resto de sua vida por ter muito prazer e por ser uma atividade que contribui para lhe dar mais significado? Essa deve ser uma boa pista de sua missão de vida.

Infelizmente, o sistema educacional é uma grande linha de montagem que conduz as grandes massas como uma grande manada. É muito comum que jovens sigam esse fluxo sem questionar, entrem na universidade e quando terminam, em grande parte, no máximo, estarão prontos para arrumar um emprego, como se isso fosse, pura e simplesmente, o propósito de suas vidas.

A falta de definição dessa missão de vida faz com que muitos vaguem por suas existências como meros espectadores ou vítimas das circunstâncias que encontraram, por acaso, no fluxo que seguem. De acaso em acaso, quando conseguem pagar suas contas no final do mês já se dão por satisfeitos. Dessa forma, 35 anos passam num estalar de dedos e, quando se derem conta, estarão na fila do INSS para receber uma minguada aposentadoria.

Quando um adolescente já começa a flertar com sua missão de vida, a escolha de sua faculdade, ou se ele de fato vai fazer uma, fica bem mais fácil de ser feita, sem ceder às pressões dos amigos, da família ou da sociedade que, juntas, têm preparadinho para você um pacote formatado de carreira segura e com estabilidade (não existe) para que você consiga pagar suas contas no futuro, como se isso bastasse para uma vida plena.

Uma vez definida a sua missão de vida, tudo ficará mais leve, pois, com significado, acordar pelas manhãs será muito mais fácil. As segundas-feiras serão diferentes e as sextas feiras tão agradáveis quanto foi a semana que passou. Coisa rara hoje em dia, pela falta de significado que transforma o trabalho numa tortura insuportável.

Voltando à pergunta da repórter, entre as competências técnicas e as comportamentais, uma vez definida a missão de vida, SEM DÚVIDAS, as competências comportamentais são as que vão definir se um profissional vai chegar mais longe ou se vai ocupar um lugar comum dentro de uma organização.

Daria pra falar horas sobre este tema, mas hora, ficamos por aqui e deixo uma pergunta:

O que você faz hoje, gastando horas de seu tempo, ou seja, a sua vida, você faria de graça pelo resto da vida por ser sua missão de vida?

Se a resposta é não, pare, pense um pouco e busque definir sua missão. Esta é uma das definições mais importantes de nossas vidas.

Se a resposta é sim, saiba que a sua chance de, inclusive, ganhar bastante dinheiro fazendo o que você está fazendo é muito grande, pois, com a paixão que você tem, é possível chegar mais longe e se tornar muito competente nesta área, o que, além do cumprimento de sua missão, as recompensas a que você pode ter acesso podem ser muito grandes. Isso inclui realização pessoal, profissional e financeira.

Um abraço a todos!

Comentários

comentários