__temperomaisforte

Com um tempero um pouco mais forte

(O choro nos comentários é livre)

Não acredite que você é uma vítima de quem quer que seja, que é explorado ou que seja um produto irreversível do meio em que nasceu. Sua condição pode ser até ruim, consequência de muitos fatores. No entanto, o que importa é que é possível, sim, mudar sua realidade em poucos anos, a depender, para começar, de você se libertar dessa mentalidade vitimista fomentada por muitos abutres políticos e intelectuais disseminadores do vírus do vitimismo.

Ao se libertar dessa praga ideológica, você desbloqueia de seu cérebro muitas ferramentas que ajudarão sua criatividade e que, somadas a coragem e disposição de trabalhar, vão aumentar suas chances de você virar o jogo. Não é fácil, mas é possível.

No entanto, os que insistirem no vitimismo não terão outra alternativa a não ser ficarem esperando por heróis populistas ou por uma revolução que nunca chegará, e acabarão sendo usados como massa de manobra para saciar a fome de poder a qualquer custo daqueles que vivem de mamar nas tetas da infelicidade e pobreza alheia.

Como vemos em muitos exemplos, os que se libertaram dessa lavagem cerebral ideológica do vitimismo marxista assumiram o leme da vida e construíram uma nova história. Não são poucas as histórias de favelados bem sucedidos, de moradores de rua milionários e catadores de lixo que hoje têm sua própria empresa. Visite a área de vídeos da página e procure os traillers que postei aqui contando a história de muitos deles. Dê a si mesmo essa oportunidade. Não tenha medo.

Esses que são chamados de exceção ou pontos fora da curva, que de fato são, servem apenas como prova de que é possível. Isso basta. Ninguém está dizendo que é fácil. Ser possível é o suficiente para você lutar pela sua chance, ou pelo menos deveria.

A maior armadilha em que alguém pode cair é a de construir uma mentalidade proletária e medíocre difundida nesta sociedade e que virou moda na última década. Libertar-se desta cadeia é fundamental para que você não seja um a mais na multidão de descontentes e vitimizados por suas próprias escolhas. Abandonar essas ideias teleguiadas representa assumir seu protagonismo e ganhar uma chance de viver uma vida melhor, longe das lamúrias pseudointelectuais que são alimentadas frequentemente por quem trocou sua iniciativa pela consciência manipulada por utopias sociais difundidas por séculos e fracassadas desde sempre em todas as suas experiências.

Viva a vida com plenitude. Lute por seus sonhos e materialize uma vida melhor para sua família. A outra opção é continuar à margem da prosperidade por achar que viver bem e com abundância é coisa da burguesia fedorenta. Bem, se isso for verdade, então faça sua carterinha de burguês, pois oferecer o melhor para sua família é o desejo de quem não quer ser um a mais na multidão.

Cá para nós, vou lhes contar uma coisa vinda de alguém que conhece os dois lados da moeda: prosperar não fede nem um pouquinho.

Pense fora da caixa e liberte-se dos abutres. Somos GVs.

Comentários

comentários