gv-testeira-03

“Com quem”: o que realmente importa

Nenhum sucesso é por acaso. Ganhar na loteria até pode ser por acaso, mas não é por acaso que a maioria dos que ganham perde tudo em poucos anos. Logo, não confunda ganhar dinheiro com sucesso. Não confunda fama com sucesso. E, principalmente, não confunda popularidade nas redes sociais com sucesso.

Sucesso é cumprir sua missão de vida. Eventualmente, isso poderá lhe dar como contrapartida dinheiro e fama, mas não é uma regra geral.

Respeito e admiro muita gente que não é rica, não são pessoas famosas e tampouco têm legiões de seguidores por aqui. No entanto, são pessoas extremamente bem sucedidas e respeitáveis das quais me orgulho muito. Na missão de vida que escolheram não estava incluído o fluxo financeiro como recompensa por seu magnífico trabalho. E, acreditem, elas não estão nem um pouco tristes por isso. São pessoas realizadas, felizes e cheias de vida.

Não quero aqui fazer discurso pseudo-moralista contra ganhar dinheiro. Primeiro porque eu gosto muito de produzir, gerar valor e fazer dinheiro. Segundo, porque ganhar muito ou pouco dinheiro não se trata de um tema moral. Não há nada de imoral em ser rico e tampouco não há virtude alguma na pobreza.

O principal é: se nenhum sucesso é por acaso, o que um jovem precisa aprender e até desaprender para cumprir sua missão e ter sucesso?

Primeiro, é preciso compreender e escolher sua missão.

Segundo, é preciso não se contaminar com o discurso moralista que atribui virtude à pobreza, da mesma maneira que é preciso compreender que determinadas escolhas de vida não lhe levarão à riqueza e que isso não é necessariamente um problema.

Terceiro, é preciso aprender como chegar lá, como cumprir sua missão. Infelizmente, isso não se aprende na escola. Entenda isso de uma vez por todas.

Quando jovem, depois da fase escolar, procure um trabalho relacionado ao que você quer fazer pelo resto de sua vida: sua missão. No meio do caminho, novas portas poderão se abrir e outras possibilidades podem aparecer. Essa é a beleza de estar no caminho, em vez de ficar paralisado pela dúvida. Até porque algumas portas somente poderão ser encontradas durante o decorrer da jornada. Eventualmente, nessas portas, você descobrirá novas perspectivas e, décadas à frente, você vai olhar para trás e vai conectar os pontos, como dizia Steve Jobs.

Eu ouvi recentemente Jack Ma, fundador da Alibaba, o maior bilionário chinês, dizendo que se fosse jovem preferiria trabalhar numa empresa pequena a trabalhar numa empresa grande. Numa empresa grande você será apenas uma pequena peça de uma enorme engrenagem. Já numa empresa pequena você tem a possibilidade de ser influenciado diretamente por um empreendedor que está construindo a sua história e isso representa uma mentoria impagável. É claro que não existe fórmula, mas eu concordo. Aconteceu exatamente assim comigo.

Costumo dizer que COM QUEM vale mais do que ONDE. Buscar referenciais tem uma importância muito grande na formação de novos protagonistas em todos os setores da sociedade. Isso também se estende (COM QUEM) na área afetiva, empresarial e em seus relacionamentos. Jim Rohm, conhecido empreendedor americano, disse que “Você é a média das cinco pessoas com quem passa mais tempo”. De novo, não acredito em fórmulas, porém, digo que há algum indício de verdade, ou pelo menos, uma boa pista nessa frase.

É exatamente por esta crença que eu me mantenho firme por aqui há mais de 6 anos. Por entender que sempre existirão pessoas que precisam de referenciais neste mundo cheio de contradições, ruídos e perturbações. As novas gerações, despejadas nessa selva, clamam por referenciais. Não tenho a pretensão de ocupar este espaço, mas como vim dos piores lugares das piores periferias do Brasil e, de lá, encontrei caminhos pra sair daquele caos, sei que é difícil, mas é possível. Isso me motivou todas as vezes que pensei em parar de escrever aqui.

Logo, no final do dia, no meio de tantas coisas que eu tenho pra fazer, saber que tem um louco aí do outro lado querendo fazer acontecer em sua vida e que está decidido a sair da linha de montagem que essa sociedade te preparou, é uma das principais motivações que me fazem estar te escrevendo, enquanto estou atrasado há mais de 10 minutos pra entrar em minha próxima reunião.

Tudo bem, vou entrar na reunião agora e dizer que a culpa é sua!

Comentários

comentários