Ampliando os referenciais- números tristes sobre a violência

Ampliando os referenciais: números tristes sobre a violência

A ONU divulgou hoje um relatório que aponta que nos últimos sete anos o número global de assassinatos vem caindo no mundo. Na contramão dessa tendência mundial, no Brasil, no mesmo período, este número continua subindo a cada ano.

Para fazermos uma comparação, vejamos os números:

PORTUGAL – 10 milhões de habitantes – 124 assassinatos/ano
AUSTRÁLIA – 20 milhões de habitantes – 229 assassinatos/ano
CHINA – 1,3 bilhões de habitantes – 18 mil assassinatos/ano
EUA – 300 milhões de habitantes – 17 mil assassinatos/ano
RÚSSIA – 143 milhões de habitantes – 18 mil assassinatos/ano
ÍNDIA – mais de 1,2 bilhão de habitantes – 52 mil assassinatos/ano
BRASIL – 200 milhões de habitantes – 63 mil assassinatos/ano.

Para que você faça uma comparação, se o Brasil tivesse o mesmo índice de assassinatos que tem Portugal, em relação ao tamanho de sua população, em vez de ter 63 mil assassinatos por ano, o Brasil teria “somente” 2.480, quase 61 mil mortes por assassinato a menos todos os anos.

Somos o país com o maior número absoluto de assassinatos do mundo e estamos entre os 10 mais assassinos do planeta, considerando a proporção da população com o índice, segundo a ONU, de 32,4 mortes para cada 100 mil habitantes.

Honduras, Venezuela e Jamaica são os países que lideram o ranking mundial de assassinatos por cada 100 mil habitantes, com 103,9; 57 e 45 assassinados para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Fonte: Organização das Nações Unidas

Comentários

comentários